Notícias

Sucatas ilegais de automóveis à beira do fim

«Até ao Verão concluímos a remoção de mais de 700 depósitos ilegais de sucata. Neste momento, já vamos em 450 que foram ou removidos ou, por satisfazerem os requisitos ambientais, estão a ser licenciados», afirmou Francisco Nunes Correia.

O governante lembrou ainda que só a entrega do veículo automóvel em fim de vida a um centro de abate licenciado permitirá ao proprietário deixar de pagar anualmente o Imposto Único de Circulação (UIC), medida que acabou com os carros velhos abandonados nas ruas.

Entretanto, o director-geral da Valorcar, entidade certificadora dos centros de abate e reciclagem dos veículos em fim de vida, referiu que apenas os distritos de Guarda e Beja no Continente e a Madeira e Açores não dispõem de unidades de desmantelamento.

«Até ao Verão os centros de abate de veículos da Guarda e de Beja, já em instalação, entrarão em funcionamento, ficando cobertos todos os distritos do Continente», disse Ricardo Furtado.

Além da unidade de Amarante inaugurada ontem - a mais moderna e única no país por ter uma linha completa de desmantelamento e reciclagem de todos os materiais - estão em funcionamento 43 centros de abate de veículos, prevendo-se que a rede fique completa com meia centena de instalações.

A evolução da situação no Algarve

A situação no Algarve evoluiu favoravelmente desde Junho passado com a eliminação dos locais das “sucatas clássicas” de veículos em fim de vida (VFV) e os resultados da primeira fase das acções já estão à vista, na medida em que foram limpos, voluntariamente pelos proprietários, 41 locais.

Para além de sucatas VFV estão identificadas inúmeras outras que têm todo o tipo de resíduos, nomeadamente materiais ferrosos e não ferrosos, resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos (REEE), etc. Todos os locais da região onde foi identificada a deposição de resíduos sem a respectiva licença foram alvo de notificação para limpeza, estando neste momento 55 locais em processo de limpeza, a qual será verificada pela fiscalização destes serviços.

Recorde-se ainda que para o exercício da actividade de gestão de resíduos é possível requerer a obtenção de licença junto da CCDR. No Algarve encontram-se licenciadas 3 empresas uma em Faro, outra em Lagoa e a terceira no Algoz e foram recebidas 13 outras intenções de licenciamento.

Última modificação: 
Sexta, 25 Outubro 2013