Notícias

Francisco Serra defende mais ação conjunta do Algarve, Alentejo e Andaluzia

O presidente da Eurorregião Alentejo-Algarve-Andaluzia (EURO_AAA) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR-Algarve), Francisco Serra, apelou ao empenhamento da sociedade civil das três regiões para sustentar uma frente de ação comum na promoção do desenvolvimento regional e da cooperação transfronteiriça na partilha e transferência de conhecimento das universidades para o tecido empresarial.

O presidente da EURO_AAA falava na abertura do I Fórum de Turismo do Guadiana, em Ayamonte, que contou com a presença de autoridades portuguesas e espanholas, empresários turísticos dos três concelhos que constituem a Eurocidade (Ayamonte, Castro Marim e Vila Real de Santo António), para além da representação de outras zonas transfronteiriças.

“Trabalhar em conjunto, fazer em conjunto, é sempre melhor do que fazer sozinho ou separadamente” sublinhou Francisco Serra, apontando o exemplo da comunidade académica, destacando que “as universidades das três regiões e os seus centros de investigação estão a funcionar em rede de uma forma bastante satisfatória”.

“Na minha perspetiva, devemos aprofundar mais este esforço de cooperação em matéria de investigação e de desenvolvimento com o objetivo de passar conhecimento para o tecido empresarial e social. Numas matérias, as universidades da Andaluzia tem mais tradições de investigação, mas nos domínios do turismo estamos a desenvolver no Algarve conceitos que podem ser estendidos às três regiões, como são os conceitos de região inteligente ou as temáticas de inovação no turismo, os desafios das redes inteligentes de energia ou da economia do mar que podem ser rentabilizados pela Eurorregião”.

“É claro que os territórios tem várias identidades e cada região permite uma análise diferenciada das respetivas potencialidades, mas a sua interação com os territórios adjacentes proporciona-nos a possibilidade de transformar numa centralidade importante e que contraria aquilo que de outra forma é periferia e subdesenvolvimento”, referiu o presidente da CCDR-Algarve, desafiando “a Eurorregião e os responsáveis das autarquias, do tecido empresarial e das redes sociais e culturais para unirem forças e empenharem-se em projetos comuns que ainda não estão concretizados”.

Como exemplo, O presidente da EURO_AAA considera fundamental fazer “a ligação ferroviária entre o Algarve e a Andaluzia, que trará um desenvolvimento diferente daquele que podemos experimentar hoje nos fluxos turísticos e nas plataformas logísticas, ou localizar um centro internacional de negócios e de serviços empresariais no sotavento do Algarve, que poderá facilitar a permuta de serviços na zona de fronteira”.

O Fórum abordou a o turismo como uma atividade dos agrupamentos de cooperação transfronteiriça, sendo apresentadas as experiências das eurocidades de Chaves/Verim e Elvas/Badajoz, sublinhando Francisco Serra que “o aproveitamento das novas condições de navegabilidade do Guadiana pode proporcionar o reforço dos laços de cooperação ao longo do rio, unindo as três regiões, pois trata-se de uma via estruturante deste território, permitindo o desenvolvimento da atividade turística, imobiliária e agroalimentar e a valorização dos produtos endógenos”.

Paralelamente ao Fórum, decorreu a reunião preparatória ao 3º Conselho Constitutivo da Euro_AAA, onde participaram, para além de Francisco Serra, os respetivos vice-presidentes, Roberto Grilo (presidente da CCDR-Alentejo) e Ángel Luis Sánchez-Muñoz (Secretário Regional para a Ação Exterior da Junta de Andaluzia), a qual visou identificar os temas relevantes na área da cooperação transfronteiriça, prevendo-se a elaboração de um documento conjunto até ao final do corrente mês para apresentar aos governos de Espanha e Portugal antes da cimeira ibérica de junho.